quarta-feira, 4 de junho de 2008

Nestor Amaral no filme "Rose Hobart" de 1936

-

Apresento aqui um trecho do filme Rose Hobart de Joseph Cornell produzido em 1936. Trata-se de um curta metragem experimental de 19 minutos filmado em Bornéu, usando imagens de um documentário sobre um eclipse filmado pelo diretor. Rose Hobart era o nome de uma atriz de Bornéu, a qual o diretor americano quis homenagear. Tido como o principal filme surrealista americano daquele período, Rose Hobart era projetado usando um vidro azul para que a imagem fosse exibida nesta cor. No ano de seu lançamento, 1936, o diretor foi acusado de plágio por Salvador Dalí e o filme nunca mais foi exibido.

Na década de 60, o diretor substituiu a trilha sonora original, por músicas do brasileiro Nestor Amaral, extraídas de um disco clássico chamado Holiday in Brazil gravado em 1957 e lançado nos Estados Unidos pela High Fidelity Records. As músicas são "Currupaco", "Porto Alegre", "Bamba no Samba", "Ba Tu Ca Da" e outras, todas de Nestor Amaral. O filme por si mesmo já vale ser visto, mas com a trilha brasileira, ele se torna estranhamente incrível!

Rose Hobart também foi postado na íntegra, mas o user não disponibilizou o embed, então colocamos apenas os links para as duas partes do filme na íntegra, com melhor qualidade de áudio e imagens.

Rose Hobart 1936 com músicas de Nestor Amaral parte 1

Rose Hobart 1936 com músicas de Nestor Amaral parte 2

Um comentário:

Nando disse...

Caro Thiago,

Por mais que eu navegue, no pouco tempo que eu tenho, não consigo me boquifechar diante do espanto prazeroso ao encontrar blogs como o seu.
Seleção de músicas e filmes de primeira. Texto de primeira. Internet de primeiríssima classe.
Esse sobre o Nestor Amaral, que por acaso (se acaso existe acaso) eu buscava, só por prazer, então, é... Um espanto de bom!
Muito sucesso e um abraço do
Nando